Aline 1.jpg

Aline Diniz

Sou jornalista e sócia de uma agência de comunicação. Trabalhei por sete anos como colunista e repórter de Economia, depois fui assessora em órgão público por mais três. Passados alguns anos, volto com vontade de escrever sobre o que eu gosto: os bastidores da economia do Espírito Santo.

Investimentos das prefeituras capixabas desabam e valores são iguais aos da década de 90

Investimentos das prefeituras capixabas desabam e valores são iguais aos da década de 90

 Foto: Praça do bairro de Vista da Serra I / Bianca Nascimento-Secom PMS

Foto: Praça do bairro de Vista da Serra I / Bianca Nascimento-Secom PMS

Todos os municípios do Espírito Santo investiram em obras e equipamentos R$ 561,4 milhões em 2017. Esse valor representa uma queda de mais de 45% se comparado com o ano de 2016 (R$ 1,031 bi) e é o mesmo aplicado pelas cidades em projetos no final da década de 1990.

O alerta é feito pela publicação Finanças dos Municípios Capixabas, da Aequus Consultoria, com a observação de que desde 2006 o montante era superior a R$ 1 bi. Destaque para o ano de 2012, quando alcançou R$ 2,1 bi.

Os economistas Alberto Borges e Tânia Villela, editores do anuário, enumeram alguns fatores para essa redução drástica: retração de investimentos no início das administrações municipais e, principalmente, a crise econômica brasileira e sua lenta recuperação em 2017.

 Fonte: Finanças dos Municípios Capixabas 2018

Fonte: Finanças dos Municípios Capixabas 2018

 

Quase nada do Estado e da União

“Após dois anos de forte queda, a receita das cidades estabilizou em 2017, mas ficou num nível bastante baixo. Isso exigiu, e ainda exige, cautela e controle dos gastos públicos. Como as despesas com pessoal, principalmente, e as demais de custeio são inflexíveis à baixa, a solução foi cortar ainda mais os investimentos”, analisam.

Os investimentos feitos com recursos próprios caíram 44,4% em 2017, totalizando R$ 426,9 milhões. Percebem que é quase o montante total? O governo estadual repassou apenas R$ 17,4 milhões e a União R$ 90,1 milhões, com decréscimos respectivos de 66,9% e 30,1% comparados aos valores de 2016.

 Fonte: Finanças dos Municípios Capixabas 2018

Fonte: Finanças dos Municípios Capixabas 2018

 

Anchieta, Fundão e Alegre: as maiores quedas

Anchieta liderou: de R$ 20,5 milhões, em 2016, para apenas R$ 1,6 milhão, em 2017, com queda de 92,4%. Na sequência, aparecem Fundão (de R$ 8,3 milhões para R$ 784 mil, com -90,6%) e Alegre (de R$ 7,4 milhões para R$ 1 milhão, ou seja, -85,3).

Primeiros no ranking

O município da Serra investiu R$ 56 milhões em 2017, o segundo maior no Espírito Santo e o primeiro da Grande Vitória. Na frente do ranking, que foi Serra em 2016, está Presidente Kennedy, com R$ 67,7 milhões. Em terceiro, Itapemirim (R$ 54,6 milhões), seguido por Vitória (R$ 53,5 milhões), Vila Velha (R$ 43,5 milhões), Cariacica (R$ 29,5 milhões) e Aracruz (R$ 18,6 milhões).

26.07.2018 - Mercado

De gasoduto para Minas até terminais de regaseificação: elevado preço do gás natural abre espaço para novos investimentos

De gasoduto para Minas até terminais de regaseificação: elevado preço do gás natural abre espaço para novos investimentos

Empresa cria plataforma de consulta do desempenho das escolas no Enem

Empresa cria plataforma de consulta do desempenho das escolas no Enem