Aline 1.jpg

Aline Diniz

Sou jornalista e sócia de uma agência de comunicação. Trabalhei por sete anos como colunista e repórter de Economia, depois fui assessora em órgão público por mais três. Passados alguns anos, volto com vontade de escrever sobre o que eu gosto: os bastidores da economia do Espírito Santo.

Venda de veículos novos cresce no Espírito Santo

Venda de veículos novos cresce no Espírito Santo

 Foto: divulgação

Foto: divulgação

Depois das vendas despencarem de 70 mil unidades, em 2014, para 35.845 no ano passado, as concessionárias de veículos estão mais animadas com os números do bimestre: aumento de 22,35% no comparativo com o mesmo período de 2017. Os dados são do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Estado (Sincodives).

Em janeiro e fevereiro, foram emplacados 5.732 automóveis e comerciais leves contra 4.685, no intervalo do ano passado. Já as vendas de caminhões e ônibus tiveram um aumento de 132,28% (de 158 unidades para 367), enquanto que as de motos, o percentual positivo foi de 10,02%.

Confiança, crédito e promoção

De José Braz Neto, diretor do Grupo Lider: “estamos percebendo a confiança do consumidor em voltar a comprar, as fábricas empenhadas em vender, os bancos comprometidos em aprovar crédito, além de liquidações da linha 17/18. Tudo isso favorece o mercado, que deverá gradualmente retomar seu ritmo de crescimento". As revendas CVC apresentaram alta de 25%, e na Tai Motors, o percentual foi de 15%, no bimestre.

Vai e volta dos negócios

As importações do Espírito Santo tiveram alta de 11,29% no primeiro bimestre do ano, se comparado com o mesmo período de 2017. Atenção para os negócios com automóveis, que tiveram incremento de mais de 81%. Especialistas apontam como responsáveis o fim do programa Inovar-Auto e a retomada gradual da economia brasileira. Já as exportações registraram queda de 7%, no intervalo analisado, motivada pela redução da venda de petróleo bruto.

Inovação em Vix

Vitória ocupa a 10ª colocação, num total de 32 cidades, no pilar Inovação do Índice de Cidades Empreendedoras 2017, da Endeavor, que analisa o ambiente empreendedor no Brasil. Rio está em primeiro, seguida por São José dos Campos e Florianópolis.

Destaque com mestres...

O economista Juliano César Gomes explica que, segundo a pesquisa, a Capital tem a terceira maior proporção de mestres e doutores em Ciência e Tecnologia (14,43 para cada 100 empresas, enquanto que a média foi de 9,19) e a segunda maior proporção de funcionários da área, de 13,45 contra 9,56 das demais cidades.

... e descompasso com patentes

Por outro lado, nos indicadores de outputs, há um descompasso, uma vez que a proporção de empresas com patentes registradas ficou abaixo da média (3,8 para cada 1.000 contra 4,2 nas demais cidades). “Isso acaba sendo reflexo de outro indicador preocupante: o tamanho da indústria inovadora, onde Vitória aparece em último lugar, com apenas 0,15% de empresas inovadoras, apesar da boa oferta de mão de obra básica e qualificada”, disse o economista.

27.03.2018 - Mercado

Ampliação de espaço para novas startups no Espírito Santo

Atividade econômica do ES foi a pior do Sudeste

Atividade econômica do ES foi a pior do Sudeste